Anticoncepcional para homens está previsto para comercialização em 2023

Estima-se que para o ano de 2023 o primeiro anticoncepcional não hormonal masculino e injetável, o Risug, seja comercializado. Especialistas asseguram que “é um método econômico e com efeito de 6 meses com certas vantagens que outros métodos não tem”. A comunidade médica revela que um dos intuitos do medicamento é bloquear a transmissão de HIV.

Além disso, por ser um método não cirúrgico a dor é inferior ao da vasectomia, que precisa de uma intervenção cirúrgica para ser realizada. Como o processo também é revertível, a capacidade de reprodução fica intacta, para os que decidirem ter filhos.

O Risug (acrônimo para “reversível inibição do esperma sob orientação”), é desenhado pelo Instituto indiano de Tecnologia, que em 2002 chegou perto de lançar o Risug, mais na época encontraram uma substância, que foi classificada como tóxica. O professor, Sujoy Guha, voltou às pesquisas depois de cinco anos e já finalizaram uma série de ensaios: prova feitas em 300 voluntários mostraram uma eficácia de 97%.

Na atualidade, se espera a autorização do ente regularizador indiano para iniciar a fabricação, tendo como previsão de chegada ao mercado em 2023.

De forma previa, às duas injeções da vacina anticoncepcional são administradas com um anestésico local no escroto. A aplicação é realizada em um par de minutos, sem dor e de maneira rápida. O gel trabalha para danificar a cauda dos espermatozoides, impedindo-os de fertilizar o óvulo.

O feito se reverte a partir de uma injeção feita da mistura de água e bicarbonato de sódio. O remédio indiano, que mostra a sua capacidade de reverter, poderia implicar uma revolução para a saúde reprodutiva e, especialmente, um ponto de refletir sobre os métodos anticoncepcionais.

No passado, outros experimentos para desenhar anticoncepcionais masculinos não hormonais não tiveram sucesso e foram desconsiderados porque também provocavam aumento no nível do colesterol e aumentavam o risco de doenças cardíacas. A médica Amanda Wilson afirma que “A previsão científica é de que uma pílula anticoncepcional masculina leve entre 30 e 50 anos para se tornar disponível. O Risug, porém, é o contraceptivo masculino mais próximo de chegar ao mercado”.

Deixe um comentário